Embaixada de Portugal em Timor-Leste

Ministério dos Negócios Estrangeiros

Sarau de Encerramento das Celebrações do Dia da Língua Portuguesa e da Cultura da CPLP

 Terminou com Alegria, Ode à Alegria, uma intensa semana de atividades dedicadas à celebração do dia 5 de maio, Dia da Língua Portuguesa e da Cultura da CPLP. Foi no Sarau de Encerramento, que teve lugar no Centro Cultural Português da Embaixada de Portugal em Díli, numa organização conjunta entre o Parlamento Nacional e a Embaixada de Portugal/ Centro Cultural Português - Camões, I.P. em Díli.

C14

Numa sessão marcada pela surpresa – um Flash Mob de poesia por altura dos discursos do Presidente do Parlamento Nacional, Arão Noé da Costa Amaral, e o Embaixador de Portugal em Díli, José Pedro Machado Vieira, com poemas por autores de cada um dos países da CPLP – pela palavra e pela música.   

C1

O coro do CAFE de Díli, a Banda da Escola Portuguesa e o Grupo de Música e Dança da Secretaria de Estado da Arte e Cultura brindaram a audiência com canções em língua portuguesa. Entre a música, os vencedores dos concursos de escrita língua portuguesa, promovidos pelo Parlamento Nacional, “20 Anos da Consulta Popular em 30 de agosto de !999” e “Liberdade” leram os seus textos. O Coro Gracias de Motael, vencedor do concurso da “Coro para a Europa”, encerrou a noite com o “Jubilate Deo” e o “Hino da Alegria”, numa apresentação memorável.

C5

Com este evento, fechou-se o Programa que se iniciou, nos dias 3 e 4, com uma Feira do Livro, no Suai, em que a escola do projeto de cooperação CAFE – Centros de Aprendizagem e Formação Escolar – foi transformada numa Vila da Leitura e do Conhecimento, com salas temáticas e atividades lúdicas.

A Comissão Nacional do IILP de Timor-Leste promoveu, no sábado, 4 de maio, uma noite de música e poesia da CPLP na voz de Isabella Bretz, acompanhada ao piano por Rodrigo Lana.

C7

O dia 5 de maio, o Dia da Língua Portuguesa e da Cultura da CPLP, foi marcado, no Centro Cultural Português de Díli, com a inauguração da exposição de pintura pelo artista timorense J. Bosco, que designou “Alfabetização”; a apresentação de dança, música e contos pelo Departamento de Língua Portuguesa da UNTL e pelo Xanana Gusmão Reading Room e a atuação dos oficiais das forças da PNTL e F-FDTL, formandos do Instituto de Defesa Nacional, fechando com a canção “Timor”, do grupo português Resistência.

C4

c13

c16

C9

C6

C8

O Parlamento Nacional, no dia 6 de maio, aprovou, com o apoio de todas as bancadas parlamentares, um voto de saudação pelo Dia da Língua Portuguesa e da Cultura da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa e deu início a uma semana de eventos, com a inauguração da exposição “Uma imagem, mil palavras”, música, poesia e prémios a trabalhos em língua portuguesa.

C2

c17

c18

O Ministério dos Negócios Estrangeiros e Cooperação acolheu uma sessão de música e poesia, e no Arquivo e Museu da Resistência Timorense, a Secretaria de Estados das Artes e Cultura procedei ao lançamento do Doc.TV CPLP.

12

c3

Muitas outras atividades tiveram lugar, em Díli, na Fundação Oriente, na Sala de Leitura Xanana Gusmão, no Colégio S. João de Brito e, por todo o país, nas escolas CAFE, que, com os seus alunos e comunidades em que estão inseridas, se organizaram  para promover a Língua Portuguesa e a Cultura da CPLP.

c10

Como um dos eventos mais empolgantes, o seminário “Jornalismo em tempo de luta: relatos em português”, organizado em parceria com o projeto Consultório da Língua para Jornalistas, que contou com a participação de quatro jornalistas que fizeram reportagens sobre dois momentos marcantes da história de Timor-Leste, a ocupação de 1975, pelas forças indonésias, e o Referendo de 1999 – Adelino Gomes, Max Stahl, António Sampaio e Virgilio Guterres.

c11

 

Este Programa foi o resultado da coordenação da Embaixada de Portugal/ Centro Cultural Português - Camões, I.P. em Díli com  outras 27 instituições: o Parlamento Nacional, o Governo de Timor-Leste, a Secretaria de Estado das Artes e Cultura, a Embaixada do Brasil em Díli, a Delegação da União Europeia em Timor-Leste, o Instituto de Defesa Nacional, o Conselho de Imprensa, a Comissão Nacional do IILP, a Universidade Nacional Timor Lorosa’e, o Arquivo e Museu da Resistência Timorense, a Escola Portuguesa de Díli, o Projeto Mais Português, a Fundação Oriente, os projetos da Cooperação portuguesa CAFE, Consultório de Língua para Jornalistas e PFMO, o Centro Audiovisual Max Stahl, a Sala de Leitura Xanana Gusmão, o Colégio S. João de Brito, a Livraria Central, a Plural Editores, o Coro Nossa Senhora de Fátima, Coro Gracias, de Motael, o grupo Haktuir ai-knanoik, com o apoio do Gabinete de Apoio à Sociedade Civil, do BNU e do Hotel Timor.   

Partilhar:
FacebookTwitterGoogle +E-mail